Mega projetos urbanos e as populações afetadas: Jogo limpo com os direitos humanos?